Está a acontecer de novo! A história repete-se!

17-11-2021

Queridos amigos de Garabandal,

Deixo-vos um artigo " The Now world, de Mark Mallet" traduzido para português pelo Apostolado de Garabandal em língua portuguesa, que vem de novo alertar para os perigos que todos nós estamos a viver nestes tempos difíceis, nestes " fim dos tempos", que por diversas vezes alertamos a todos vós, tendo como base as profecias de Garabandal.

Vivemos num tempo em que todas as profecias anunciadas por Nossa Senhora em Garabandal estão a cumprir-se bem em frente aos nossos olhos! Estamos prontos para ver e analisar os fatos? Ou vamos fazer de conta que nada se passa à nossa volta?

Lembram-se da profecia de Garabandal quando Nossa Senhora disse que "Quando o comunismo regressar de novo, então tudo começará a acontecer...".

Pois é. Esse tempo do " regresso do comunismo" chegou, e estamos a começar a vivê-lo!

E digo isto com a mais profunda convicção, pois temos fontes seguríssimas que o confirmam a respeito desta profecia! Não posso dizer mais nada sobre isto...mas todos vós deverão compreender a origem da fonte desta confirmação que vos deixei e que confirmam que o comunismo chegou!

O comunismo chegou, mas não da maneira como todos imaginavam. Desta vez não veio em forma de exércitos, com tanques e armas, mas de uma forma disfarçada para o bem comum das sociedades numa espécie de Marxismo cultural.

Deixo-vos agora o artigo. Leiam bem, meditem sempre com oração e com a ajuda do Espírito Santo que nos guia sempre pela verdade.


Está a acontecer de novo!



Vários cientistas importantes surgiram nas últimas semanas descrevendo a vasta censura, propaganda e supressão de cientistas e dados científicos - e a aceitação fácil do público - nos termos mais graves:

"Há uma psicose em massa. É semelhante ao que aconteceu na sociedade alemã antes e durante a Segunda Guerra Mundial, onde pessoas normais e decentes foram transformadas em ajudantes e o tipo de mentalidade de "apenas seguir ordens" que levou ao genocídio. Eu vejo agora esse mesmo paradigma a acontecer." -Dr. Vladimir Zelenko, MD, 14 de agosto de 2021; 35:53, Stew Peters Show



"É um distúrbio. Talvez seja uma neurose de grupo. É algo que vem à mente de pessoas em todo o mundo. O que quer que esteja a acontecer, está a acontecer na menor ilha das Filipinas e da Indonésia, numa pequena aldeia de África, numa cidade da América do Sul, na Europa. É tudo igual - veio para todo o mundo." -Dr. Peter McCullough, MD, MPH, 14 de agosto de 2021; 40:44, Perspectives on the Pandemic, Episódio 19

"O que o ano passado realmente me chocou profundamente, é que diante de uma ameaça invisível, aparentemente séria, a discussão racional saiu pela janela ... Quando olhamos para a era COVID, acho que será visto como outras respostas humanas a ameaças invisíveis que no passado foram vistas, como um tempo de histeria em massa." -Dr. John Lee, patologista; Vídeo desbloqueado; 41:00

"Eu normalmente não uso frases como esta, mas acho que estamos parados nos portões do Inferno." -Dr. Mike Yeadon, ex-vice-presidente e cientista-chefe de Respiratórias e Alergias na Pfizer; 1:01:54,

Falei pessoalmente com pessoas que sobreviveram ao regime nazista e se mudaram para o Canadá ou os Estados Unidos. Eles avisaram-me:

"Os mesmos sinais que precederam o que aconteceu quando eu era criança, agora estão a acontecer aqui". Lori Kalner, que viveu durante o regime de Hitler, escreveu em um blog:

"Na Alemanha, quando Hitler chegou ao poder, foi uma época de terrível depressão financeira. O dinheiro não valia nada. Na Alemanha, as pessoas perderam casas e empregos, assim como na Depressão americana na década de 1930 ... Logo depois disso, um pastor, foi impedido de visitar paroquianos idosos em hospitais. As pessoas que ele tinha vindo para trazer conforto da Palavra de Deus, "não estavam mais lá." Para onde eles desapareceram enquanto estavam sob o sistema de saúde nacionalizado? Tornou-se um segredo aberto. Os idosos e doentes começaram a desaparecer dos hospitais, à medida que o "assassinato por misericórdia" se tornou a política. Crianças com deficiência e aquelas com síndrome de Down foram sacrificadas. As pessoas sussurravam: "Talvez seja melhor para eles agora. Tire-os da miséria. Eles não estão mais a sofrer ... E, claro, a sua morte é melhor para o tesouro da nossa nação. Os nossos impostos não devem mais ser gastos para cuidar de tal carga. " E assim o assassinato foi chamado de misericórdia. O governo assumiu negócios privados. A indústria e a saúde foram "nacionalizadas". (NA-ZI significa Partido Nacional Socialista) Os negócios de todos os judeus foram confiscados.... O mundo e a palavra de Deus foram virados de cabeça para baixo. Hitler prometeu mudanças económicas ao povo? Foi, ao contrário, a ilusão muito antiga de Lúcifer levando à destruição. O que começou com a propaganda de crianças cantando uma melodia cativante acabou com a morte de milhões de crianças. A realidade do que veio sobre nós é tão horrível que você nesta geração não pode imaginar ... A menos que o curso da igreja seja espiritualmente mudado agora, voltando para o Senhor, novos horrores ainda estão por vir. (...) Restam tão poucos de nós para avisá-lo. Ouvi dizer que há 69 milhões de católicos na América e 70 milhões de cristãos evangélicos. Onde estão as suas vozes? Onde está a sua indignação? Onde está a paixão e o seu voto? Você vota com base nas promessas vazias e na economia de um abortista? Ou você vota de acordo com a Bíblia? (...) Experimentei os sinais da política da Morte na minha juventude. Eu vejo-os de novo agora ..." -wicatholicmusings.blogspot.com

Temos que entender que, assim como no tempo de Kalner, as pessoas se recusaram a acreditar - ou rapidamente desculparam - a propaganda clara. Está a acontecer tudo de novo. Aqueles que estão a alertar, é claro, serão acusados ​​de fomentar o medo, o exagero e a ilusão ou de serem considerados anti-vacinas, negacionistas, fanáticos, etc.

Mas quando a censura flagrante da verdade está a ocorrer, quem está a cometer a ilusão?

Mark Mallet, " The Now World"

Traduzido pelo Apostolado de Garabandal em língua portuguesa, Novembro de 2021